Você já imaginou se teletransportando para casa depois de um dia intenso e cansativo no trabalho? Ou, quem sabe, conseguir chegar mais rápido para o compromisso que você se atrasou? Para você, temos uma boa notícia: o teletransporte já existe!

Por outro lado, a má notícia é que o teletransporte ainda está muito distante do que vemos na ficção, como no famoso seriado Jornada nas Estrelas (Star Trek).

Tudo indica que, por um bom tempo, essa viagem vai ficar só na ficção. Os cientistas até imaginam como teletransportar gente – difícil mesmo é concretizar a experiência.

Essa idéia foi cientificamente descartada há dez anos. O físico americano Charles Bennett demonstrou que o teletransporte é possível, mas com uma condição: o que chega ao destino não é o passageiro, mas um xerox do sujeito.

Teletransporte possível

Na física quântica, o que são transportadas não são as partículas em si, mas informações sobre elas. Ou seja, quando eu quero teletransportar algo de um ponto A para o B. O que aparece no B é uma cópia, enquanto o original é destruído no ponto A.

Esse teletransporte quântico só é possível por causa de um fenômeno que os cientistas chamam de entrelaçamento. Um sistema de comunicação instantânea entre as partículas onde essas informações quânticas são compartilhadas.

No final da década de 90, o físico inglês Samuel Braunstein, da Universidade de York, na Inglaterra, usou o entrelaçamento para teletransportar um feixe de raio laser em um laboratório.

Outro experimento, realizado por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, conseguiu teletransportar fótons (partículas que formam a luz) a 16 quilômetros de distância em 2010.

Além desses países, o teletransporte quântico tem sido estudado por cientistas na Áustria, Austrália, Dinamarca, Suíça e nos Estados Unidos, entre outros.

O principal interesse desses pesquisadores não é fazer você fugir rapidamente de situações embaraçosas. É aplicar essas descobertas da física quântica na computação, melhorando a segurança da informação, e na indústria química, por exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here