Um vídeo divulgado pela National Geographic no último dia 7 tem comovido pessoas ao lembrá-las dos efeitos devastadores que as mudanças climáticas já estão provocando no planeta. O registro é do fotógrafo Paul Nicklen e mostra um urso polar faminto, enfraquecido e provavelmente com parte da musculatura atrofiada, procurando comida entre restos de um acampamento de pesca abandonado nas ilhas canadenses Baffin.

Veja aqui

Com o aumento da temperatura e o derretimento do gelo marítimo, os ursos polares perdem acesso a sua principal fonte de alimento, as focas. Esfomeados e sem energia, são forçados a procurar qualquer fonte de comida perto de áreas habitadas por humanos – que são proibidos por uma lei do Canadá de alimentar os ursos polares.

De acordo com a NatGeo, caso o animal filmado, no final do verão no hemisfério Norte, não tenha encontrado uma fonte de comida, é provável que estas tenham sido suas últimas horas de vida. “Alguns nos criticaram por não fazer mais para ajudar o urso, mas nós estávamos longe demais de qualquer vila para pedir ajuda e se aproximar de um predador faminto, especialmente quando nós não tínhamos uma arma, seria loucura”, explicou à NatGeo a cofundadora da Sea Legacy, Cristina Mittermeier, uma das cinegrafistas presentes no momento.

“Nós ficamos lá, chorando – filmando com lágrimas rolando pelos nossos rostos”, contou Paul Nicklen. “Quando os cientistas dizem que os ursos estão entrando em extinção, eu quero que as pessoas percebam com o que isso se parece: os ursos morrerão de fome”.

Retrato das mudanças climáticas

Como cresceu no norte do Canadá e é biólogo de formação, o fotógrafo da vida selvagem já viu mais de 3 mil ursos em seus habitats naturais. A cena acima, no entanto, é uma das mais angustiantes que ele já presenciou. “A simples verdade é esta – se a Terra continuar a aquecer, vamos perder os ursos e os ecossistemas polares inteiros”, escreveu em seu perfil no Instagram.

Em 2002, um relatório do World Wildlife Fund previu que as mudanças climáticas poderiam eventualmente tornar os ursos polares uma espécie ameaçada ou extinta. Porém, já no mesmo ano, a maioria dos ursos estudados pelo WWF mostrava sinais de fome. O relatório também mostrou que os ursos polares estavam migrando do gelo para terra firme mais cedo e permanecendo em terra por mais tempo. Isso faz com que o seu jejum seja estendido para níveis não saudáveis, já que perdem o acesso à base da sua dieta mais cedo do que deveriam.

Mittermeier ressalta que, embora não possa ter certeza que o urso em questão estava morrendo de fome por causa das mudanças climáticas, pode afirmar categoricamente que ursos polares dependem de uma plataforma de gelo marinho para caçar. “Um ártico em aquecimento rápido significa que o gelo do mar está desaparecendo por longos períodos de tempo a cada ano.

Isso significa que muitos ursos ficam presos em terra, onde não podem perseguir suas presas, que consistem em focas, morsas e baleias, então morrem de fome vagarosamente”.

[HypeScience]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here